Palavra-chave: ódio

Resultados para a palavra-chave ódio

ódio

Você não gosta de mim? Ainda bem. Obrigado.

Publicado em 23 de setembro de 2009 por Olegario Schmitt

Não há coisa que intimamente mais me cause prazer no mundo do que saber ou perceber-me odiado.

Isso se dá porque aqueles que me amam possuem em relação a mim certa proporção de similaridade: amam-me somente porque até certo ponto sou similiar a elas mesmas e é provável que pessoa alguma ame a alguém que não seja si própria.

De minha parte, amo-as pelos mesmos motivos: amá-las é unicamente amar o tanto de mim que vejo nelas, já que ao restante desprezo.

Igualmente, saber-me amado por determinadas pessoas me seria um castigo tão insuportável que gosto quando elas me odeiam pois assim tenho certeza de que não somos iguais em nada.

Entenda quando os marginais se tornam Senhores

Publicado em 11 de junho de 2009 por Olegario Schmitt

“Qual a sua opinião sobre pichações?” foi a única pergunta feita a trabalhadores, comerciantes, moradores e transeuntes de uma determinada rua de São Paulo.

Algumas de suas respostas estão nesse vídeo.

Oração de São Francisco de Assis

Publicado em 08 de outubro de 2004 por Olegario Schmitt

Plank! Quebrei a linha. Ainda bem que eu já disse, no dia 22/06/2004, que esse Blog não tem linha nenhuma e, no dia 06/09/2004, que todo dia é um dia especial.

O 04/10 — Dia de São Francisco de Assis — passou em brancas nuvens por aqui. Nada melhor que orar — e relembrar São Francisco — atenuando um pouco os sintomas e respectivos efeitos dos sinais dos tempos.

Senhor,
Fazei de mim um instrumento de vossa paz!
Onde houver ódio, que eu leve o amor;
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão;
Onde houver discórdia, que eu leve a união;
Onde houver dúvida, que eu leve a fé;
Onde houver erro, que eu leve a verdade;
Onde houver desespero, que eu leve a esperança;
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria;
Onde houver trevas, que eu leve a luz !
Ó, Mestre, fazei que eu procure mais
Consolar, que ser consolado,
Compreender, que ser compreendido,
Amar, que ser amado.
Pois é dando, que se recebe,
Perdoando, que se é perdoado
E é morrendo, que se vive para a vida eterna!

O que faz com que um dia seja especial?

Publicado em 06 de setembro de 2004 por Olegario Schmitt

Gandhi (1869 - 1948)

Porque hoje é segunda-feira e não se comemora coisa alguma, tampouco é aniversário de seu nascimento ou de sua morte, eis aí um ótimo pretexto para lembrar Gandhi: hoje é um dia especial, como outro qualquer.

“A não-violência não existe se apenas amamos aqueles que nos amam. Só há não-violência quando amamos aqueles que nos odeiam. Sei como é difícil assumir essa grande lei do amor. Mas todas as coisas grandes e boas não são difíceis de realizar? O amor a quem nos odeia é o mais difícil de tudo. Mas, com a graça de Deus, até mesmo essa coisa tão difícil se torna fácil de realizar, se assim queremos.”

“Ao rejeitar a espada, não tenho senão a lâmina do amor para oferecer àquele que investiu contra mim. É ao oferecer-lhe esta lâmina que espero sua aproximação. Não posso conceber um estado de hostilidade permanente entre um homem e outro. Pois, crendo na reencarnação, vivo na esperança que, se não nesta vida humana mas numa outra, poderei cingir toda a humanidade num fraternal abraço.”

“Vocês podem me acorrentar, torturar e até destruir meu corpo, mas nunca aprisionarão minha mente.”

“Não há um único caminho para a felicidade; a felicidade é o caminho.”

Designed by