Palavra-chave: chimarrão

Resultados para a palavra-chave chimarrão

chimarrão

Alguns têm mais de uma, outros já não tem mais.

Publicado em 08 de maio de 2005 por Olegario Schmitt

Minha mãe, Nelcinda

Alguns têm mais de uma,
outros já não tem mais.
Outros ainda, nunca as tiveram,
são filhos sem mães nem pais.

Algumas são mães honorárias,
e há até as voluntárias…
mas de verdade só se tem uma,
embora as mães sejam várias.

Há mães presentes de corpo,
mas ausentes de espírito
e mães presentes em espírito,
mesmo que ausentes de corpo.

Há mãe doce, mãe carrasca…
Já a minha, é mãe de chimarrão:
é inseparável de seu mate
e outra eu não quero não.

Então, sem mãe ninguém é:
Jesus também teve a sua
e a divide com todos nós,
mesmo com aqueles sem fé.

Há mãe amorosa e de carinho.
Há mãe agitada e mãe calma:
D’us é tão perfeito que fez
uma mãe para cada alma.

O chimarrão

Publicado em 17 de setembro de 2004 por Olegario Schmitt

Mate Gaúcho - Delafuente (Gabriel Usinger)

A Lenda

Gatto, Alcides In: Erva Mate, Ed. UFSM, 1982

Era sempre assim: a tribo de índios guarany derrubava um pedaço de mata, plantava a mandioca e o milho, mas depois de quatro ou cinco anos a terra se exauria e a tribo precisava emigrar a terra além.

Cansado de tais andanças, um índio, já mui velho, um dia recusou-se a seguir adiante e preferiu quedar-se na tapera. A mais jovem de suas filhas, a bela Jary ficou entre dois corações: seguir adiante, com os moços de sua tribo, ou ficar na solidão, prestando arrimo ao ancião até que a morte o levasse para a paz do Yvi-Marai. Apesar dos rogos dos moços, terminou permanecendo junto ao pai.

Essa atitude de amor mereceu ter recompensa. Um dia chegou um pajé desconhecido e perguntou à Jary o que é que ela queria para se sentir feliz. A moça nada pediu, mas o velho pai pediu “renovadas forças para poder seguir adiante e levar Jary ao encontro da tribo que lá se foi”.

Entregou-lhe o pajé uma planta muito verde, perfumada de bondade, e ensinou que ele plantasse, colhesse, as folhas, secasse ao fogo, triturasse, botasse os pedacinhos num porongo, acrescenta-se água quente ou fria e sorvesse essa infusão, “terás nessa nova bebida uma nova companhia saudável mesmo nas horas tristonhas da mais cruel solidão”. Dada a receita partiu.

Continuar lendo »

Designed by