Aos Malditos

Um recado aos burocratas da pós-modernidade.

Reflexões

Aos Malditos

Um recado aos burocratas da pós-modernidade.

Publicado em 30 de maio de 2004 por Olegario Schmitt

Burocratas esquizofrênicos cheios de parafernálias estéticas pós-modernas, mais retrógrados do que pás de moinho girando aos ventos solares.

Quixote salve suas almas, Sancho proteja da alucinação coletiva, esses filisteus alienados na descrença da realidade metafísica e da inalcançável libertação do sistema tecnocrático que é o estar vivo.

Ceticismo contemporâneo como girândulas, girassóis-gestalto praticando a masturbação política, o cinismo retórico e a monocromia hipócrita do controle ilusionário.

Pisando sonhos e poesia como formigas atônitas no meio do caminho destrutivo da engrenagem, assistindo sua própria aniquilação enquanto dançam em torno de fogueiras pré-históricas, roendo o osso de mamute da libertação criativa.

Morte aos filisteus e à morte do sonho! Que a burocracia entre na fila infinita para o outro guichê, para o outro guichê, para o outro guichê, sabendo finalmente estar no setor errado.

E aos tecnocratas das modernidades, coroas de flores às estampas Hermès.

Você pode deixar sua opinião registrada

Seu ponto de vista é importante. A reação do leitor é um termômetro valioso para o autor.

Contribua com sua opinião

Designed by