Casca

A vida ensinou-lhe a ser dura e deu-lhe uma casca

Literatura

Casca

A vida ensinou-lhe a ser dura e deu-lhe uma casca

Publicado em 12 de Maio de 2005 por Olegario Schmitt

Casca

Para Nalú Nogueira

A vida deixou-a cansada.
Arriscou esperança. Não deu.
Tentou ilusão. Falhou.
Tentou golpes altos. Colheu desencanto.
A vida ensinou-a a ser dura
e deu-lhe uma casca.
Era o que se via através da face inexpressiva
e dos olhos parados olhando para o nada.

Mas por dentro era um vulcão,
por dentro rio caudaloso pedindo vazão.
E o pensamento voava através dessa casca,
não se sabia ao certo pra onde.
Tentou desespero, derrotando a felicidade.
Permitiu a vasta tristeza.
Colheu o que plantou.
Ela, que tanto gritou, que tanto lutou,
diante da derrota temporária decidiu ceder.
Os olhos penderam, o riso calou, o peito doeu, perdeu-se.

Parou.

Tentou poesia. As letras choravam.
Tentou alegria. Não deu.
Tentou soerguer-se. Falhou.
Tentou realidade. Os pensamentos sempre em outra estação.

Viu seus sonhos quebrarem como frágeis cristais,
desencontrou-se da vida como uma criança sozinha.

Mas ela era forte. A vida ensinou-lhe a ser dura
e deu-lhe uma casca.
E ela compreendia que a inquietação do dia
serve apenas para que a noite seja mais calma.
E ela conhecia o poder da esperança,
e tinha conhecimentos profundos das histórias
do céu e das nuvens.
E ela haveria de descobrir, mais cedo ou mais tarde,
quanta força tem um sonho.

Comentários

  1. Nálu
    29 de Abril de 2009

    Ei não me lembrava! Que lindoooooooooo!
    Lóviu!

Contribua com sua opinião

Designed by