A minha história com Lady Spirro

A história de uma viciada… em orelhas!

Literatura

A minha história com Lady Spirro

A história de uma viciada… em orelhas!

Publicado em 02 de dezembro de 2008 por Olegario Schmitt

Lady Spirro

Meus olhos cintilantes cor-de-telha estão vidrados no monitor, ao mesmo tempo em que os meus dedos destripam furiosamente o teclado.

São 22 horas e o sol azul se põe no horizonte vertical da Net-Heart, enquanto Lady Spirro engole “viciada… em orelhas”mais uma de minhas orelhas.

Preciso fazer com que ela pare com isso, já é a terceira orelha minha que ela come só nessa semana e eu acho que ela está ficando viciada. Estou preocupado.

Lady Spirro é uma coisa estranha. Há alguns anos atrás eu me arriscaria a chamá-la de mulher, mas hoje eu não sei mais de nada. Ainda mais com essa gosma verde que escorre incessantemente dos seus lábios.

Tudo começou com o grande maremoto de algas químicas. Todos sabem do maremoto, seria redundância contar toda aquela história nauseante“maremoto de algas químicas” novamente… Pois bem, Lady Spirro, assim que ficou sabendo do maremoto que se aproximava, pegou a sua prancha de Net-Surf e correu para a praia. Quando conseguiu ultrapassar a vasta barreira mortal de carcaças de peixes mortos, a enorme onda cor-de-rosa já se avistava no horizonte.

Lady Spirro é maluca! Lançou-se à essa gelatina que antigamente chamávamos Mar, e surfou radicalmente naquela onda imensa.

Ela nunca mais foi a mesma. Sua pele que antes era sedosa e macia, devido aos ácidos sulfurocarbonatados especiais que usava, ficou estranhamente verde e fosfórea. Dos seus olhos ficou, durante meses, escorrendo um líquido preto e viscoso de um mau cheiro horripilante.

Lady Spirro acabou com o meu estoque de lencinhos de papel limpando aquela gosmeira toda, sem falar nessa“começou com os pets” estranha mania que ela desenvolveu após o ocorrido, que é a de comer orelhas. Quando ela comia as orelhas apenas dos cachorros e dos gatos dos vizinhos eu não me preocupava, mas com o tempo ela passou a comer as orelhas dos vizinhos também.

Estranhamente todos eles desapareceram sem deixar vestígios. Desconfio que Lady Spirro os tenha comido. A minha sorte é que eu apliquei-me aquela injeção para surdos crônicos, que faz crescer orelhas por todo o corpo. Se eu não tivesse um número suficiente de orelhas sobressalentes, não sei o que seria de mim.

Lady Spirro é um perigo!

Você pode deixar sua opinião registrada

Seu ponto de vista é importante. A reação do leitor é um termômetro valioso para o autor.

Contribua com sua opinião

Designed by