Semana Farroupilha I

Origens, Maragatos vs. Chimangos

Especiais

Semana Farroupilha I

Origens, Maragatos vs. Chimangos

Publicado em 20 de setembro de 2004 por Olegario Schmitt

Revolução Farroupilha - José W. Rodrigues

Farroupilha — A Origem

A denominação “farroupilha” é anterior à Revolução e era utilizada para designar os grupos liberais de idéias exaltadas.

Em 1829 os Farroupilhas já reuniam-se em sociedades secretas, como a Sociedade dos Amigos Unidos, do Rio de Janeiro, cujo objetivo era lutar contra o regime monárquico. Desde então, eram chamados de farroupilhas e publicavam dois jornais no Rio de Janeiro: A Jurubeba dos Farroupilhas e A Matraca dos Farroupilhas.

Segundo Evaristo da Veiga, o termo foi inspirado nos sans-culottes franceses, os revolucionários mais extremados durante o período da Convenção (1792 a 1795). Os sans-culottes, que literalmente quer dizer sem calção, usavam calças de lã listradas, em oposição ao calção curto adotado pelos mais abastados.

O Partido Farroupilha foi fundado no Rio Grande em 1832, por Luís José Alpoim, que participante das agitações populares de 7 de abril de 1831, no Rio, e que resultaram na queda do Imperador. Desde o início o partido teve atuação intensa, sobressaindo-se a manifestação contra a instalação da Sociedade Militar (que congregava conservadores) em Porto Alegre, em outubro de 1833.

Por Que “Gaúcho”?

Quando o Rei da Espanha mandou casais de agricultores das Ilhas Canárias para povoar a recém-fundada Montevidéu, eles transplantaram a palavra pela qual identificavam o habitante autóctone das ilhas — guanche, ou guancho.

Segundo o Aurélio, a palavra origina-se justamente o espanhol platino gaucho, significando “primitivamente, o habitante do campo, descendente, na maioria, de indígenas, de portugueses e de espanhóis; por extensão, o natural do interior do Uruguai e de parte da Argentina; peão de estância; cavaleiro hábil”.

O gaúcho e seus hábitos serão melhor abordados posteriormente.

A Revolução Farroupilha / O 20 de Setembro

Na década de 1830, os estancieiros gaúchos, produtores de charque e couro, reclamavam duramente do governo imperial devido à concorrência desleal que sofriam em relação ao Uruguai e à Argentina, países que também produziam e vendiam charque para as províncias brasileiras. Como os impostos de importação eram baixos, os produtos importados pelo Uruguai e da Argentina chegaram a custar menos que a carne do Rio Grande do Sul, o que estava arruinando a economia gaúcha.

Revoltados contra a centralização do Poder Federal, a espoliação econômica da região e a expropriação e desvio dos recursos acumulados no Estado — que eram utilizados até mesmo para pagar dívidas federais junto à Inglaterra — os Farrapos, unidos e mobilizados sob a liderança de Bento Gonçalves e de outros nomes como David Canabarro, Anita e Giuseppe Garibaldi, deram início à Revolução Farroupilha em 20 de setembro de 1835.

Introduzindo revolucionárias práticas democráticas, em 1837 e 1838 libertaram os escravos que haviam participado da revolução; reduziram os impostos sobre exportação e restabeleceram o imposto sobre importação de gado; criaram uma fábrica de arreios e outra de curtir couros, além de promover o recenseamento da população. Ainda, dentre as medidas mais importantes, institui-se a República Piratini, a Assembléia Constituinte e o sistema eleitoral, este baseado no sufrágio universal, com voto obrigatório e apuração perante o povo reunido.

Maragatos vs. Chimangos

Missa Crioula: nós simbolizando a paz entre Maragatos e Chimangos

Os Maragatos (revolucionários), identificados pelo lenço vermelho no pescoço, foram assim apelidados pelos republicanos. Os revoltosos liderados por Silveira Martins, deixaram o exílio no Uruguai e entraram no RS à frente de um exército. Como esse exílio havia ocorrido em região do Uruguai colonizada por pessoas originárias da região espanhola da Maragateria, os republicanos apelidaram-nos de “maragatos”, buscando caracterizar uma identidade “estrangeira” aos federalistas.

Com o tempo, o termo “perdeu” a conotação pejorativa e assumiu significado positivo, sendo aceito e defendido pelos federalistas e seus sucessores políticos.

Os Chimangos (republicanos), identificados pelo lenço branco no pescoço (também podem ser grafados ximangos), têm essa denominação originária na ave de rapina de mesmo nome, uma falconídea, semelhante ao carcará ou, em linguagem popular, caça com a qual não vale a pena se gastar chumbo.

Além de sinalizar os partidários de Júlio de Castilhos e Borges de Medeiros na Revolução Farroupilha, na década de 1920, também foi alcunha dada pelos federalistas ao governistas do PRR (Partido Republicano Rio-Grandense).

Semana Farroupilha — O Início

As comemorações da Semana Farroupilha começaram em 1947, por iniciativa de alguns estudantes do Colégio Júlio de Castilhos de Porto Alegre (dentre eles Paixão Cortes, um dos maiores tradicionalistas gaúchos), na intenção de resgatar o patrimônio sócio-cívico-cultural rio-grandense e também como contrapartida ao americanismo exacerbado existente na época.

Inicialmente chamada de Ronda Gaúcha, era comemorada do dia 7 de setembro, data da independência do Brasil, até o dia 20 de setembro, data de início da Revolução Farroupilha.

A Chama Crioula

Na época, o acendimento da Chama Votiva da Ronda Gaúcha, feita à meia noite do dia 7 de setembro com a retirada de uma centelha do Fogo Simbólico da Semana da Pátria, recebeu a denominação de “Chama Crioula”.

A essa tradição, até hoje honrada, segue-se a distribuição da Chama por todo o Estado, durante as festividades da Semana Farroupilha.

Bibliografia

Paixão Cortes In: Origem da Semana Farroupilha — Primórdios do Movimento Tradicionalista
A origem da palavra “Gaúcho” — Barbosa Lessa In: Rodeio dos Ventos
Cardoso Nunes, Zeno/Rui In: Dicionário de Regionalismos do Rio Grande do Sul
Website Viver No Campo
Website RS Virtual apud Gomes Carneiro, Lígia de Azambuja

Comentários

  1. ketchup
    18 de agosto de 2008

    e tudo mentira!!!!!

    usaram so KETCHUP!!!!!!!

    BYEBYE

    KETCHUP!!

  2. Olegario Schmitt
    18 de agosto de 2008

    Malditos Chimangos! Teremos de degolá-los todos de novo! E dessa vez sem ketchup!

  3. alberto clavé
    4 de setembro de 2008

    Parabens pelo trabalho. Saudações

  4. Cintia de Barros Eis
    11 de setembro de 2008

    Gostaria de Saber porque a Flor Brinco de Princesa e a Macela sao simbolos gauchos e porque viraram tao importantes na cultura gaucho.

    Estou fazendo um trabalho sobre assunto e gostaria de saber mais!

    Muito Obrigada.

  5. Leticia Bastos do Al
    15 de setembro de 2008

    Adorei todas as informaçõe que o site tem,por que foi muito útil pra nossa pesquísa da semana farropilha.Parabéns pelo trabalho que vocês fizeram.

  6. Vanessa da Silva
    15 de setembro de 2008

    Adorei todas as informação mas acho que deveria falar mais das dez simbolos do Rio Grande do Sul pois poucas pessoas sabem que eles existem

  7. leandro G. Gadis
    5 de julho de 2009

    Sou gaúcho.

    Estou morando em Itapema sc .

    Entrei no saite para imprimir a semana farroupilha para passar aos catarinenses o que quer dizer semana farroupilha.

    Vamos para o 3 ano com desfile em 20 de setembro.

    No ano passado desfilamos com 40 cavalos no centro da cidade.

    Este ano vamos passar com mais de 100 cavalos. em itapema.

    Solicito e esta querancia amada que nos auciliem, para melhorar esta semana farroupilha .

    Um abraço de um gaúcho em sc .

    Leandrop

  8. Juliana Silveira
    12 de setembro de 2009

    Bom Dia,

    Sou gaúcha de coração e concerteza AMOOO comemorar a Semana Farroupilha!!! Parabéns pelo site!!!

    Esperamos todos no Parque Harmonis…

    GAUCHADA LA VAMUSS NÓOSSSS!!!!

  9. hellen
    12 de setembro de 2009

    chato☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☻☻☻☻☻☻☻ aaaaaaaaaa

    aaaaaaaaaa

    aaaaaaaaaaa

    aaaaaaaaaa

    rrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr

  10. carolllll
    17 de setembro de 2009

    legal

  11. fred cruguer
    17 de setembro de 2009

    TRABALHO DE MERDA, QUE PAGADA HEIN TA LOCO VAO TOMA NO [editado pelo autor do blog]!!!!

  12. Olegario Schmitt
    17 de setembro de 2009

    Quando os trollers ficam revoltados, é sinal que a gente acertou.

    Obrigado pelos elogios, todo mundo.

  13. Gilberto Medeiros Ri
    19 de setembro de 2009

    Este trabalho foi o mais simples e objetivo para falar sobre chimangos,maragatos e a semana farroupilha.

    Parabéns..

  14. Nina
    23 de setembro de 2009

    preciso que vc me responda uma pergunta…

    Qual a origem da denominação farrapo ou farroupilha?

    É que eu presciso dessa pergunta pra uma gincana no sabado e eu tenho q levar isso amanha se der tempo me responde se ñ vazer o q néh?

    Valeuuu!!!!!!!!!!

    E parabens pelo seuj trabalho!!!!

  15. Olegario Schmitt
    23 de setembro de 2009

    Cara Nina,

    não entendi sua pergunta, uma vez que a resposta ao que você perguntou está no próprio texto (que você não leu?).

    Leia de novo, atentamente, que a resposta está lá, bem clara.

    Abraço e obrigado por seu comentário.

  16. uhennig
    8 de setembro de 2010

    Como todo gaúcho, já conhecia a história da Revolução Farroupilha (pelo menos creio que conheçam), mas a forma como as informações foram colocadas fez dessa, uma leitura prazerosa.

    Parabéns!

  17. amanda
    14 de setembro de 2010

    Esse texto…E muito bom pra nossa educação…E a jente sempre tenha essa tradição da semana Farroupilha…

    Eu e a minha dupla Alessandra nós adoramos esse texto…É isso…

    Muito obrigada

    Link permanente

  18. Gui
    24 de outubro de 2010

    Por que exatamente os rebeldes brigavam com os gavernantes?

  19. Gui
    24 de outubro de 2010

    E tambem gostaria de saber quem ganhou, os governantes ou os rebeldes

  20. Olegario Schmitt
    24 de outubro de 2010

    Gui, os rebeldes Farroupilhas brigavam com os governantes porque o Brasil costumava desprezar o Rio Grande do Sul em suas medidas políticas e, sobretudo, econômicas.

    Quem ganhou? Obviamente foram os governantes, uma vez que o Rio Grande do Sul ainda faz parte do Brasil e não forma um país à parte.

  21. Margarida Nunes
    30 de novembro de 2010

    Adorei! Parabéns pelas informações. Essa vai só para os bons: “Sou gaúcha da fronteira e já vivi na lidea campeira, sei sevar um bom chimarrão e preparar café de chaleira, fervido em fogo de chão. Sou uma prenda mimosa criada com muito apreço. Sou da estirpe de Herval seco, mas moro na Capital do meu amado Rio Grande. Mas se um dia preciso for, defender este meu pago, lutarei com destemor contra qualquer invasor, com abravura de uma farroupilha ,sei lançar e dar pialo, ate tombar o pingo no chão.” Por MN. Cultura que não se esquece ensinada desde criança.!

  22. Olegario Schmitt
    30 de novembro de 2010

    Conterrânea, obrigado pelas maravilhosas palavras.

    AbraçOle

  23. fabricio sa brito
    18 de fevereiro de 2011

    para o povo gaucho a semana farropilha e sagrada!!
    Para um povo que nao ten fibra e nem amor a terra nao sabe oque significa tal sentimento,fica sendo roubado pelos politicos e pagando altos intostos de boca e braços fechados ten mais que achar besteira a revoluçao

Contribua com sua opinião

Designed by