Armamento Pesado

Há diferença entre melhor amigo e melhor inimigo do homem

Atualidades

Armamento Pesado

Há diferença entre melhor amigo e melhor inimigo do homem

Publicado em 14 de março de 2005 por Olegario Schmitt

Cécil Braga e Chaves publicou em seu Blog, Meu Olhar…, artigo sobre os animais das raças Pit-Bull e Rottweiller, intitulado Justa Defesa, onde diz: “Fazendo-se justiça, porém, há que se considerar o histórico de vida desses pobres animais, de acordo com o informe policial diariamente sujeitos a maus tratos e ininterrupta selvageria. Se entre humanos racionais permite-se a ação em legítima defesa, por que estranhar animais agindo conforme seu mais puro e natural instinto de conservação da própria vida?”.

Muito sensato o seu ponto de vista ao defender esses animais que apenas tornam-se agressivos dependendo da criação/educação que receberam, mas acredito que depois de tantas crianças e adultos mortos de forma selvagem por esse tipo de cães, é necessário rever alguns conceitos.

Muitos donos dizem não entender o ataque repentino dos cães, pois os mesmos se apresentaram dóceis durante toda a sua vida. Realmente, é provável que a maioria desses “Nunca vemos nos jornais notícias sobre crianças sendo dilaceradas por poodles”cães jamais efetue qualquer ataque, mas a questão é que, se vier a atacar, causará muitos estragos. Nunca vemos nos jornais notícias sobre crianças sendo dilaceradas por poodles, por exemplo.

E o motivo disso é simples: cães como os da raça pit-bull foram criados através de cruzamentos genéticos, na intenção de se obter coragem, agressividade, resistência, capacidade de lutar e morder.

A origem desses animais está ligada à condução de gado nos matadouros ingleses. Porém, em 1835 o Parlamento declarou a luta de cães com touros ilegal e criminosa, contra a vontade dos talhantes da época que alegavam que tais lutas tornavam a carne bovina mais macia (o cão atacava o boi ficando pendurado no animal até este cair exausto na arena). Com essa proibição, os criadores que apreciavam a coragem, resistência e tenacidade dos bull-dogs, começaram através de seleção a criar um animal valente e agressivo com outros cães e com grande resistência à dor.

Mas os cães não têm culpa nenhuma, realmente: quando alguém comete assassinato culpamos a arma utilizada no crime ou o criminoso que a empunhou?

A arma, como os cães, não tem culpa de nada. Assim sendo, deveremos liberar o porte de armas de fogo, na confiança de que seus donos não façam mau uso delas?

O que deve ser analisado nessa questão não é a culpa ou a inocência da arma, digo, do cão. O que devemos levar em conta é a sua natureza e o propósito da sua existência.

E os pit-bulls, assim como os revólveres, foram criados como o único propósito de matar.

Você pode deixar sua opinião registrada

Seu ponto de vista é importante. A reação do leitor é um termômetro valioso para o autor.

Contribua com sua opinião

Designed by